Meteorologia: as melhores estações para casar em 2017



Faça chuva ou faça sol, confira as tendência de meteorologia para os meses de 2017 e se prepare para o planejamento do grande dia!

O clima no dia do casamento é uma das grandes preocupações de todas as noivas. Orações infinitas para São Pedro e simpatias para Santa Clara são apenas o começo de uma saga de expectativa para evitar a temida chuva no grande dia. Mas é importante lembrar que o clima não influencia somente a temperatura mas também tem impacto no preço das flores, em função da época das diversas espécies.

Conversamos com a meteorologista Patricia Cassoli, da Somar Meteorologia, para adiantar algumas tendências climáticas para as quatro estações de 2017.

VERÃO

O verão começa com pouca chuva na Região Sul, principalmente no mês de janeiro, com temperaturas na média climatológica, ou seja, entre 25 e 30°C, exceto no leste da região, onde a média fica entre 20 e 25°C. Já no Sudeste, o verão também não será com temperaturas muito elevadas. Em relação a chuva, o Sudeste e o Centro-Oeste é marcado com chuva acima da média, principalmente em janeiro com os maiores volumes de água se concentrando no litoral do Sudeste e no norte do Centro-Oeste. Já em fevereiro, os maiores acumulados ficam entre o Centro-Oeste e Norte.

 

OUTONO

No começo da estação a chuva já diminui no Rio Grande do Sul, mas os acumulados entre o litoral de Santa Catarina e Espírito Santo ainda são mais elevados, assim como no norte do Centro-Oeste e Norte. Já entre abril e maio chove pouco em praticamente todo o Brasil, o que é bom para o casamento ao ar livre. Porém, apesar da pouca chuva, a temperatura média será mais baixa no Centro-Sul, principalmente em maio no Rio Grande do Sul, que vai ter cara de inverno.

 

INVERNO

O inverno será frio em todo o Centro-Sul do Brasil, com temperatura média abaixo de 18°C entre o Sudeste, Sul e mato Grosso do Sul e, especialmente no Rio Grande do Sul, abaixo dos 12°C. Somente em agosto que a temperatura começa a subir um pouco, mas no Rio Grande do Sul ainda faz frio. Em relação a chuva, a estação começa seca, como é típico do inverno. Em agosto até aumenta a chuva, mas mesmo assim é com baixo acumulado, permitindo o casamento ao ar livre, principalmente no interior do país.

 

PRIMAVERA

A primavera começa com pouca chuva em praticamente todo o Brasil, somente entre o leste gaúcho e sudeste de São Paulo que o volume de chuva é maior. Mas é a partir de outubro que a chuva chega com mais força em praticamente todo o Brasil, com exceção da metade oeste do Rio Grande do Sul onde a chuva fica abaixo da média. Em relação a temperatura, a estação começa fria, principalmente no Sul, mas já em outubro volta a esquentar em todo o Brasil.

 

Fonte: Inesquecível Casamento

Casamento na praia: as dicas que não podem faltar



Sonha com um casamento na praia? Então essa matéria é especialmente para você! Fizemos um mix com dicas de assessorias experts no assunto

Muitos sonham com um casamento na praia, à beira mar e sob o pôr-do-sol. O cenário perfeito e ideal para os românticos incuráveis! Pensando nisso, as assessorias mais experientes no tema separaram dicas imperdíveis para que esse casamento fosse conforme o esperado pelos noivos e convidados, proporcionando o que há de melhor para todos os ali presentes e envolvidos. Veja mais!

ESCOLHA DO LOCAL

Aproveite a viagem para visitar todos os hotéis e espaços para casar. Deixe seu coração livre e quando ele bater forte a dica é não lutar contra esse sentimento. Considere o número de pessoas que pretendem convidar (é legal ter essa estimativa antes das visitas porque a lista muda tudo!), plano B (em caso de mau tempo), estrutura da cozinha, banheiros, estacionamento e área coberta – itens que fazem toda diferença no andamento da festa.

VAMOS FALAR DE FESTA, FIM DE SEMANA E PLANEJAMENTO

Pense em atividades para integrar os convidados, geralmente um dia antes do casamento. Uma Sunset Party pode ser uma boa alternativa para todos se conhecerem e já aproveitar o cenário praiano com direito a um belo pôr do sol, claro.Welcome drinks e jantares de boas-vindas também são algumas opções. Luais têm um clima mais casual e têm tudo a ver com o lugar. É só escolher!

DOSE EXTRA DE AFETO!

Encontros pré ou pós casamento não podem ficar de fora da programação, já que a comemoração normalmente é dividida em três ou quatro dias. Sirva caipiroskas com frutas regionais no welcome drinks porque elas estão com tudo! Outra aposta para receber bem são as cervejas long necks, que podem ser servidas em canoas de madeira (as artesanais são boas pedidas!). Alguns noivos ainda investem em shots de destilados e até mesmo no tradicional espumante. Importante: lembre-se de avisar a todos para não queimarem a largada!

EXPERIÊNCIA GASTRONÔMICA 

A praia oferece ingredientes frescos, aproveite! Foque em oferecer uma experiência gastronômica aos seus convidados e aposte em pratos marcantes, que explorem os sabores da região. Mas não se esqueça da logística, o menu deve ter fácil execução, pois será servido a muitas pessoas. Também é importante escolher um chef que tenha familiaridade com o cardápio escolhido. Uma dica: dê atenção aos acompanhamentos e molhos para realçar o sabor dos frutos de mar e carnes finas (que costumam ser as mais pedidas). Aves como o frango, ovos e farofa devem ser evitados, a não ser que sejam realmente ótimos. Ah! Variedade é sempre bom, muitos convidados tem intolerância a certos tipos de alimentos, então, sirva outras alternativas.

EM BUSCA DA DATA PERFEITA

Não é só a temporada de chuva que você deve estar atenta (em Barra Grande na Península de Marau, BA, ela acontece entre junho e julho). A maré também influência, e muito, os casamentos com pé na areia. É ela que vai determinar toda disposição do mobiliário e espaço ocupado pela cerimônia. Maré baixa é igual a maior faixa de areia e mais espaço para dizer o sim, maré alta reduz as possibilidades. Aposte na baixa se quiser como cenário as piscinas naturais da região. O sol é outro convidado especial, para incluí-lo marque o início da cerimônia às 16h. E nada de atrasar, pois ele não espera! Uma boa dica é posicionar o gazebo em direção ao pôr do sol porque o visual fica incrível. Para saber tudo isso, consultar com a assessoria a tabela de marés e lua é essencial para acertar na data.

EXPERTS  EM CASAR NA PRAIA

Contratar uma assessoria completa para todo o processo até o grande dia é o ideal. Afinal, como as noivas na maioria das vezes não moram na Bahia, é fundamental ter alguém para entrar em contato com os fornecedores e organizar tudo de perto. Quando a assessoria e os fornecedores se conhecem antes do casamento facilita a montagem do evento, que não aconteceria com a mesma eficiência caso o grande dia fosse o primeiro contato.

MIMOS PERSONALIZADOS

Tratando-se de destination weddings, são um gesto delicado e fundamental para agradecer a presença dos convidados no grande dia para os noivos. Há um mimo mais simples, como o bem-casado, que sempre agrada e é o must have, presente em praticamente todos os casamentos, e existem, também, itens mais elaborados e personalizados. O que vale, neste ponto, é que os convidados vejam a preocupação dos noivos em cada detalhe. E, é claro, tudo tem que estar com o perfil e a cara do casal!

Casamentos na praia combinam com welcome kits compostos por canga ou toalha de praia, protetor solar, repelente e chapéu. Além disso, são lembrancinhas super úteis que podem ser utilizadas durante toda a estadia, criando uma experiência e atmosfera única!

IT’S A MUST: SITE DOS NOIVOS

Em um destination wedding, o site do casamento é ainda mais fundamental. Lá, é importante dividir com seus convidados o dress code para que todos fiquem por dentro da ocasião. E, acima de tudo, não pode faltar um mapa do local escolhido, opções de transporte, pousada ou hotéis próximos ao local da festa, contato de salão de beleza, restaurante e passeios bacanas para os convidados aproveitarem ao máximo.

PENSE EM RECEBER BEM

Disponibilize uma equipe de concierges para recepcionar os convidados e, claro, fazer uma programação especial, paralela ao casamento. Ninguém pode se sentir deslocado, afinal se planejaram para estarem presentes. Lembre-se: o destination wedding é uma viagem que deve proporcionar experiências, por isso, explore ao máximo o potencial do lugar. Se houver mais de 150 pessoas, por exemplo, faça programas setorizados, porque nem sempre o que é bom para um funciona para todos. Ah! E tenha um bom canal de comunicação para divulgar as informações da viagem.

 

Fonte: Inesquecível Casamento

Blogueira indica os destinos mais românticos e encantadores para a sua Lua de Mel



Pensando não só nas noivas, mas também nos casais, separei alguns roteiros que podem fazer toda a diferença na lua de mel dos recém casados, para fazer desse momento algo único e especial. Confira os seis destinos que eu considero os mais românticos, repletos de praias paradisíacas, paisagens desertas, tranquilas e lugares pra lá de exóticos. Tudo o que um casal apaixonado procura para essa ocasião:

El Nido, nas Filipinas, é encantador. Estive há pouco tempo neste país e fiquei impressionada com a sua beleza. Posso dizer que é um dos lugares mais lindos do mundo que já conheci. Se escolher este destino, vai se deparar com um país um pouco fora do circuito de luxo, algo mais ligado ao turismo mochileiro, mas também encontrará paisagens lindas de impressionar qualquer um. El Nido está localizado na ilha filipina de PALAWAN (uma das mais de 7000 ilhas que formam esse país do Sudeste Asiático). Da capital Manila é possível pegar um vôo direto (e curtinho) da AirSwift para chegar no município de El Nido, que é a porta de entrada do maravilhoso Arquipélago de Bacuit. Para quem gosta do visual de água cristalina (em tons que vão do verde esmeralda ao azul turquesa) com gigantescas falésias calcárias, acredite, esse é “O” lugar. Para hospedagem, o hotel Pangulasian, da rede El Nido Resorts, é uma ótima escolha. Ele possui decoração contemporânea, piscina, praia (com uma extensa faixa de areia), suas 42 vilas são super espaçosas, algumas delas contém piscina privativa, e o hotel é membro da coleção Small Luxury Hotels Of The World. Sem dúvidas, um destino perfeito para uma lua de mel cheia de mimos.

Melhor época para ir: de novembro a maio (estação seca). Após esse período começam as chuvas.

As Ilhas Maldivas já é unanimidade entre casais. Mar com água calma e azul turquesa, bangalôs sobre o mar em hotéis extremamente luxuosos e super românticos. O destino parece até um sonho. Os países do sul e sudeste da Ásia sofrem com as monções (ventos e chuvas muito fortes), que ocorrem em períodos diferentes em cada região. Portanto, evite ir às Ilhas Maldivas de abril a outubro. Lá faz calor o ano todo, mas já que é pra ir a um lugar tão longe (e tão caro), melhor escolher o melhor mês. Melhor época para ir: de novembro a março (estação seca).

Se a África do Sul estiver entre as opções, é fácil de chegar e oferece: cidades, bichos, vinícolas, super hotéis, tudo em um mesmo lugar.

Imperdível no país é passar uns dias em Cape Town, uma cidade lindíssima a beira mar, visitar várias vinícolas em seus arredores e degustar os melhores vinhos sul-africanos, fazer safári no Krugermergulhar com tubarão baleia ou com tubarão branco na gaiola e conhecer um pouquinho de Johannesburgo, principalmente para saber mais a fundo a história de Mandela e sobre o apahtheid. Melhor época para ir: de setembro a maio. Os mais friorentos devem evitar visitar o país de junho a agosto, quando o inverno é a estação da vez.

A Tailândia é um desses países completos, que unem muita cultura e muita história com praias belíssimas. Sem falar que os hotéis, os restaurantes e o serviço são maravilhosos, portanto, indo pra Tailândia, você terá uma lua de mel perfeita.

No seu roteiro, inclua Bangkok, capital fervilhante do país, e Chiang Mai ao norte, conhecida como a capital espiritual. Se possível  vá até Chiang Rai, na fronteira com Myanmar e Laos e depois deleite-se nas praias do Mar de Andaman: Phi Phi (onde fica a famosa Maya Bay), Krabi (Railay e Phranang Beach) e  Phuket. Melhor época para ir: de novembro a março (estação seca).

A Grécia com certeza é um país que está na lista de qualquer viajante. Uma união de paisagens, super hotéis, cidades lindas e românticas com praias únicas e uma história milenar. Para um roteiro de lua de mel, o ideal é ficar uns 2 dias em Atenas para conhecer um pouco da capital e de sua história fantástica, e depois partir rumo às ilhas: Mykonos, a mais agitada (mas que também tem todo o clima de casal apaixonado) e Santorini, o máximo do romântico que algo pode ser. Melhor época para ir: de maio a final de agosto, quando o clima ainda está ótimo o bastante para aproveitar as praias.

A Austrália é outro país “completo”, que vale a viagem apenas pra lá, mesmo sem ser lua de mel. Há uma verdadeira imensidão de coisas para fazer e conhecer. Praias, cidades modernas, atrações culturais, mergulho, desertos, vinícolas além dos famosos cangurus.

Na sua viagem, conheça Melbourne, Sydney, e alugue um carro para ir dirigindo pela costa, bordeando o Pacífico, até Brisbane, passando por Hunter Valley (uma das regiões produtoras de vinhos da Austrália) e Byron Bay.

Se gostar de mergulhar, conheça a maior barreira de corais do mundo (Great Barrier Reef). E ainda é possível dormir em um barquinho sob as estrelas. Para completar ainda tem uma das praias mais lindas do mundo, a Whitehaven Beach, que fica na ilha de Whitsunday Island, acessível por barco. Melhor época para ir: o clima da Austrália é parecido com o do Brasil, só que com invernos mais frios. Por isso, evite ir nos meses de junho a agosto.

Fonte: Noivas & Noivos

Blogueira indica os destinos mais românticos e encantadores para a sua Lua de Mel



Pensando não só nas noivas, mas também nos casais, separei alguns roteiros que podem fazer toda a diferença na lua de mel dos recém casados, para fazer desse momento algo único e especial. Confira os seis destinos que eu considero os mais românticos, repletos de praias paradisíacas, paisagens desertas, tranquilas e lugares pra lá de exóticos. Tudo o que um casal apaixonado procura para essa ocasião:

El Nido, nas Filipinas, é encantador. Estive há pouco tempo neste país e fiquei impressionada com a sua beleza. Posso dizer que é um dos lugares mais lindos do mundo que já conheci. Se escolher este destino, vai se deparar com um país um pouco fora do circuito de luxo, algo mais ligado ao turismo mochileiro, mas também encontrará paisagens lindas de impressionar qualquer um. El Nido está localizado na ilha filipina de PALAWAN (uma das mais de 7000 ilhas que formam esse país do Sudeste Asiático). Da capital Manila é possível pegar um vôo direto (e curtinho) da AirSwift para chegar no município de El Nido, que é a porta de entrada do maravilhoso Arquipélago de Bacuit. Para quem gosta do visual de água cristalina (em tons que vão do verde esmeralda ao azul turquesa) com gigantescas falésias calcárias, acredite, esse é “O” lugar. Para hospedagem, o hotel Pangulasian, da rede El Nido Resorts, é uma ótima escolha. Ele possui decoração contemporânea, piscina, praia (com uma extensa faixa de areia), suas 42 vilas são super espaçosas, algumas delas contém piscina privativa, e o hotel é membro da coleção Small Luxury Hotels Of The World. Sem dúvidas, um destino perfeito para uma lua de mel cheia de mimos.

Melhor época para ir: de novembro a maio (estação seca). Após esse período começam as chuvas.

 As Ilhas Maldivas já é unanimidade entre casais. Mar com água calma e azul turquesa, bangalôs sobre o mar em hotéis extremamente luxuosos e super românticos. O destino parece até um sonho. Os países do sul e sudeste da Ásia sofrem com as monções (ventos e chuvas muito fortes), que ocorrem em períodos diferentes em cada região. Portanto, evite ir às Ilhas Maldivas de abril a outubro. Lá faz calor o ano todo, mas já que é pra ir a um lugar tão longe (e tão caro), melhor escolher o melhor mês. Melhor época para ir: de novembro a março (estação seca).

Se a África do Sul estiver entre as opções, é fácil de chegar e oferece: cidades, bichos, vinícolas, super hotéis, tudo em um mesmo lugar.

Imperdível no país é passar uns dias em Cape Town, uma cidade lindíssima a beira mar, visitar várias vinícolas em seus arredores e degustar os melhores vinhos sul-africanos, fazer safári no Krugermergulhar com tubarão baleia ou com tubarão branco na gaiola e conhecer um pouquinho de Johannesburgo, principalmente para saber mais a fundo a história de Mandela e sobre o apahtheid. Melhor época para ir: de setembro a maio. Os mais friorentos devem evitar visitar o país de junho a agosto, quando o inverno é a estação da vez.

A Tailândia é um desses países completos, que unem muita cultura e muita história com praias belíssimas. Sem falar que os hotéis, os restaurantes e o serviço são maravilhosos, portanto, indo pra Tailândia, você terá uma lua de mel perfeita.

No seu roteiro, inclua Bangkok, capital fervilhante do país, e Chiang Mai ao norte, conhecida como a capital espiritual. Se possível  vá até Chiang Rai, na fronteira com Myanmar e Laos e depois deleite-se nas praias do Mar de Andaman: Phi Phi (onde fica a famosa Maya Bay), Krabi (Railay e Phranang Beach) e  Phuket. Melhor época para ir: de novembro a março (estação seca).

A Grécia com certeza é um país que está na lista de qualquer viajante. Uma união de paisagens, super hotéis, cidades lindas e românticas com praias únicas e uma história milenar. Para um roteiro de lua de mel, o ideal é ficar uns 2 dias em Atenas para conhecer um pouco da capital e de sua história fantástica, e depois partir rumo às ilhas: Mykonos, a mais agitada (mas que também tem todo o clima de casal apaixonado) e Santorini, o máximo do romântico que algo pode ser. Melhor época para ir: de maio a final de agosto, quando o clima ainda está ótimo o bastante para aproveitar as praias.

A Austrália é outro país “completo”, que vale a viagem apenas pra lá, mesmo sem ser lua de mel. Há uma verdadeira imensidão de coisas para fazer e conhecer. Praias, cidades modernas, atrações culturais, mergulho, desertos, vinícolas além dos famosos cangurus.

Na sua viagem, conheça Melbourne, Sydney, e alugue um carro para ir dirigindo pela costa, bordeando o Pacífico, até Brisbane, passando por Hunter Valley (uma das regiões produtoras de vinhos da Austrália) e Byron Bay.

Se gostar de mergulhar, conheça a maior barreira de corais do mundo (Great Barrier Reef). E ainda é possível dormir em um barquinho sob as estrelas. Para completar ainda tem uma das praias mais lindas do mundo, a Whitehaven Beach, que fica na ilha de Whitsunday Island, acessível por barco. Melhor época para ir: o clima da Austrália é parecido com o do Brasil, só que com invernos mais frios. Por isso, evite ir nos meses de junho a agosto.

 

Fonte: Noivas e Noivos

Casar em Las Vegas e em lugares exóticos atrai atenção de brasileiros



Caça-níqueis, jogos de cartas, noites regadas a bebidas… Se a única ideia que você faz de Las Vegas está concentrada em cassinos, onde tudo pode, trate de ampliá-la. A cidade, conhecida também como “capital mundial dos casamentos”, está cada vez mais fazendo jus ao apelido. E nem é somente para quem, de repente, resolve se casar. Estamos falando de cerimônias previamente planejadas, com toda “pompa e circunstância”. Afinal, o que acontece em Vegas, agora, nem sempre, fica em Vegas. Pelo menos, para uma boa turma de brasileiros.

Os motivos da escolha vão do financeiro ao romântico. O último, com certeza, se encaixa na história da bancária Iala Assis, 29 anos, e do empresário Eduardo Gontijo, 36. Residentes em BH, eles selaram a união em setembro de 2013. “Achava que casar em Las Vegas era uma coisa sem sentimento”, diz Iala.

Antes do matrimônio, ela e o marido já moravam juntos há um ano e, como nunca fizeram questão da celebração tradicional, se identificaram com a proposta. “Fizemos uma festa no Brasil e casamos no civil (dias antes), mas a gente queria uma bênção. E a cerimônia em Las Vegas foi muito bonita, porque o ministro contou a nossa história, teve passagens bíblicas e joguei o buquê na porta da igreja, que é linda”, diz Iala, com o mesmo ar alegre daqueles que acabaram de dizer o “sim” em frente ao altar.

A felicidade é compartilhada pelo marido. “Foi bastante emocionante, teve música com o Elvis, fotos… Depois, andamos numa limusine com os amigos. Foi superbacana”, frisa Eduardo. “O pessoal de lá é alucinado por casamento. Paramos numa praça de alimentação e o pianista tocou uma música para nós. Fico com vontade de chorar só de lembrar. Foi a melhor coisa que a gente fez”, recorda Iala, emocionada.

 

Mercado promissor
Norte-americano por nascença e mineiro de coração, o fundador do Cerimonial Las Vegas, Jaime Jimenez, entrou no negócio após identificar que muitos brasileiros estavam indo se casar na cidade. “Durante a cerimônia passamos pela bíblia, fazemos uma explicação sobre o que significa uma aliança e, no fim, tem a famosa jura de amor. Procuramos fazer algo mais leve, por isso, tem o lado da brincadeira, mas também o da seriedade”, pontua.

Conforme ele, no local, são retiradas de 80 a 100 mil licenças oficiais de casamento por ano – fora as renovações de votos. “É muito mais barato se casar lá. O nosso pacote mais caro, por exemplo, sai por US$ 825. É um negócio lucrativo por causa do volume”. Em 2015, foram realizados 467 casamentos somente pelo cerimonial Las Vegas, que cuida de casais brasileiros.

Sobre a mística que envolve casar-se na “cidade do pecado”, Jimenez trata logo de esclarecê-la. “Existe uma ilusão de que, lá, o casamento é realizado como nos filmes, mas não é nada daquilo. Há 50, 70 anos, existia, sim, isso de conhecer alguém e se casar em seguida. Agora, tudo é bem sério. Se notarmos que a pessoa está bêbada, ela não se casa; o mesmo é feito pelos outros cerimoniais”, assegura.

 

Casamento de casais amigados e renovação de votos são comuns
Jimenez explica que é muito comum fazer casamentos de casais que estão juntos há muitos anos, porém sem uma oficialização da união. Foi assim com Mara Viana, 54, e o Mário Lúcio Nunes, 58, que vivem na mesma casa há 28 anos e têm dois filhos juntos – uma moça de 25 anos e um rapaz de 18. “Meus filhos acharam muita modernidade ver os pais se casarem em Las Vegas e acompanharem tudo pela internet em tempo real”, brinca Mara, que mora em BH.

A celebração ocorreu em setembro passado, com tudo que uma noiva tem direito: vestido branco, buquê de flores e troca de alianças. “Tudo foi surpreendente. Gostei muito do fato de entrar numa limusine depois e dar a volta na cidade também. Além disso, fazer casamento no Brasil é muito mais caro, e olha que pegamos o melhor pacote e já fizemos as fotos junto. Foi muito bacana, inclusive a parte do cartório. Agora, vamos
fazer a transferência do documento para o Brasil”, afirma ela.

Além do casamento legalizado, pelo qual Mara optou, há outras duas modalidades: cerimônia de comprometimento (sem valor legal) e renovação de votos. Marco e Cristina aguardam ansiosamente por esta última opção. Casados no civil há 15 anos, eles vão realizar o sonho de casar como manda o figurino, no próximo dia 29.

Os sobrenomes do casal, que vivem no Rio Grande do Sul, foram resguardados pela reportagem, mas por uma boa causa: o casório será uma surpresa para a família. “Sempre tive vontade de casar de vestido de noiva e acho que vai ser diferente, porque a gente vai viajar com os nossos filhos. Será a nossa primeira vez no exterior”, afirma Cristina.

 

‘Destination wedding’ é tendência, dizem especialistas
Marcella Lisa, 28, do blog Berries and Love, especializado em casamentos, conta que está cada vez mais forteo “destination wedding” – isto é, noivos que escolhem se casar numa cidade diferente. “Além de Las Vegas,tenho visto noivos procurando as vinícolas do Chile, região de Toscana, castelos em Paris… O recorde é oCaribe”, destaca ela.

A blogueira frisa que é preciso se dispor de muitas informações antes de tomar a decisão de se casar noexterior. Entre as dicas, ela destaca: os noivos têm que se lembrar de passar informações detalhadas sobre aviagem aos convidados; ter em mente se há condições financeiras de levar as pessoas queridas e avaliar seisso é importante ou não para os noivos; analisar se será necessário levar profissionais da beleza que jáestão acostumados com a qualidade do serviço; escolher um cerimonial de confiança e experiente neste ramo;planejar com antecedência de ao menos um ano e meio para garantir que tudo sairá conforme o desejo dosnoivos.

Para Marcella, entre os motivos que levam os noivos a concretizar a união no exterior está o fato de poder ter uma cerimônia mais intimista, ao contrário da megaprodução muito comum no Brasil. “É uma forma de diminuir a quantidade dos convidados e aumentar a qualidade, porque vai apenas quem realmente é importante. Também tenho visto que eles buscam um cenário do amor. Quem sai do Brasil para se casar é realmente por amor, já que, hoje, as pessoas podem simplesmente ir morar juntas”, conclui.

 

Fonte: Hoje em Dia

Destino San Andrés



É cada vez mais comum casais escolherem destinos situados no caribe americano, não apenas por saberem que grande parte do ano o calor impera, mas também pelo lindo visual que os mares azuis dessas regiões tem e pela facilidade de encontrar em um só lugar badalação, calma, passeios e compras.

 

Depois de Cancun e Punta cana, hoje o destino caribenho mais cobiçado por casais em lua de mel e turistas brasileiros em geral é San Andrés.

 

Situada no caribe colombiano San Andrés é um pedacinho de terra perdido no meio do mar do Caribe. São apenas 34 quilômetros quadrados (um terço do tamanho do parque Ibirapuera), habitados por quase 70 mil pessoas e cercados de corais. É conhecido como o “mar das 07 cores” de águas calmas e seguras.

É famosa pelos casamentos realizados dentro e fora da água e desfruta da condição de zona franca, o que torna a região um destino cobiçado para as compras, com destaque para bebidas, eletrônicos e perfumes encontrados nas lojas do centro comercial e na Peatonal, um calçadão onde estão as mais luxuosas lojas da cidade.

 

As muitas opções de diversão, vão do mergulho com cilindro até barcos envidraçados que permitem ver peixes e corais sem nem mesmo se molhar e passando por mergulhos com snorkel (ou caretas, como dizem os colombianos).

A apenas dez minutos de barco de San Andrés, está uma das praias mais lindas do arquipélago, com mar azul, areias brancas e coqueiros. Johnny Cay é um parque de 45 mil metros quadrados. Suas águas são ótimas para quem quer observar peixes e corais.

As praias de San Luis, Cocoplum e Sound Bay também são imperdíveis. A faixa de areia não é tão grande e há poucos hotéis na orla, com bares.

 

Caso esta viagem esteja um pouco acima do seu orçamento, veja nossa categoria de Lua de Mel para conhecer e cotar alguns fornecedores que poderão ajudar na sua inesquecível viagem, seja no Brasil ou no Exterior!